quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Professor tira fotografia em sessão e é levado para delegacia

Mais um caso de um cidadão detido ao utilizar câmera fotográfica em local público. Dessa vez foi em Pindorama, cidade paulista da região de Catanduva. O professor Dayher Bernardo da Silva Gimenez foi levado para a Delegacia da Policia Civil por ter tirado uma fotografia durante sessão da Câmara Municipal, ocorrida na ultima segunda-feira (5).

O professor teria sido levado até a delegacia a mando do vereador Francisco Antônio Vidal (DEM), presidente da Câmera, após tirar uma foto de um dos comunicados do Legislativo que estava no Mural de Informações do prédio.

“Tirei fotos de documentos públicos, em mural público, num local público. Porém, o senhor Nenê Vidal suspendeu a sessão e chamou a Polícia Militar, que procedeu ao boletim de ocorrência no local e a apreensão da máquina. Em meio a grande constrangimento moral e vexação pública, fui conduzido de camburão à Delegacia. Trata-se, pois, da aniquilação de todos os direitos humanos e constitucionais, enfim, o soterramente da legalidade democrática e da liberdade.” - comentou Dayher.

Segundo o delegado Gustavo Steffen de Azevedo, um ato administrativo foi baixado pelo presidente da Câmara, no exercício de poder de polícia que proíbe filmagens e fotos das sessões da Câmara de Pindorama.

Leia mais a respeito no artigo do jornal O Regional.

Fonte: O Regional

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

2 comentários:

  1. Tudo bem que não faz muito tempo vimos um caso de fotografia em público com DSLR ser proibido numa estação de metrô de Londres, mas não é muito de se espantar que esse tipo de coisa ocorra no Brasil, acho.

    Agora notei duas coisas curiosas: uma é o fato do professor usar câmera analógica (ou assim o delegado dar a entender, dizendo que as fotos serão reveladas); a outra o delegado ter dito que a detenção do professor se basear não apenas numa lei orgânica (seja lá o que seja isso) mas também na própria Constituição (o que acho que é um equívoco, mas posso estar enganado...). Será que a Constituição proíbe mesmo fotografar num órgão público?

    ResponderExcluir
  2. Posso estar enganado Alexandre, mas pelo que entendi, o que o delegado quis dizer é que o decreto do Presidente da Câmera tem peso de lei e isso é previsto pela Constituição.

    ResponderExcluir

 
Copyright © 2010-2016 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil