quarta-feira, 26 de março de 2014

Retrospectiva em Paris traz fotos de Robert Mapplethorpe

Com uma canção especialmente composta para a ocasião, a cantora Patti Smith abriu a retrospectiva do fotógrafo americano Robert Mapplethorpe, de quem ela foi companheira e grande musa. A mostra acontece no Grand Palais, na capital francesa, até 13 de julho, com 200 fotos que cobrem toda a sua carreira, do início dos anos 70 até sua morte, em 1989, aos 42 anos.

Mapplethorpe marcou a história da fotografia com suas imagens extremamente estilizadas em branco em preto, de retratos, nus explícitos masculinos e de natureza morta. A celebridade veio junto com a reação violenta de políticos puritanos, abrindo polêmica a respeito do financiamento público a exposições e retrospectivas do artista, considerado obsceno.

O encontro com Patti Smith se deu em 1967. Apesar de poucos anos como um casal, os dois continuaram amigos próximos. Explícito na arte e na vida, Mapplethorpe foi usuário de drogas e também teve várias relações homossexuais nos últimos anos de vida. O esoterismo e a magia também fascinava o artista, segundo Patti.

Mapplethorpe foi vítima dos primeiros anos implacáveis da Aids. O diagnóstico da doença, que naquela época era um flagelo, foi feito em 1986. A consciência da doença e da morte deu um novo impulso à sua carreira. Em 1988, ele criou a Fundação Robert Mapplethorpe, com o objetivo de democratizar a fotografia e financiar pesquisas relacionadas à Aids.

A música composta por Patti Smith e que ela cantou na abertura da mostra diz:
Vim a Paris em 1969
À procura de Godard e Charles Beaudelaire
Hoje, não sonho mais
Volto em 2014
À procura de Robert Mapplethorpe

via RFI

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2016 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil