sexta-feira, 25 de abril de 2014

Exposição evidencia pluralidade da fotografia como arte

Fotografia e suas múltiplas abordagens, pluralidades e interferências. É assim que Sheila Oliveira trilha seu caminho como artista da imagem. A imagem é o principal instrumento de seu trabalho, mas carrega consigo a interseção de pensamentos, de reflexões, e intervenções, sem esquecer os desenhos e as pinturas, muito presentes em suas obras.

A multiplicidade de seu já consagrado trabalho com a fine art, que vem conquistando cada vez mais espaço, poderá ser vista pelo público a partir do dia 29 de abril, na Fauna Galeria. Com curadoria de Eder Chiodetto, “Rastro visto de coisa só ouvida” é a primeira exposição individual de Sheila Oliveira em uma galeria de arte e apresenta aos visitantes uma narrativa por meio de uma viagem simbólica e intuitiva, repleta de vínculos e interferências.

A mostra é composta por 30 obras, entre autorretratos e retratos de familiares, produzidas a partir de 2007, além de trabalhos mais recentes, que foram costurados a partir da curadoria de Chiodetto. A junção entre fotografia e diferentes manifestações artísticas, tendo como perspectiva o olhar narrativo presente na exposição, transformam essas imagens em territórios onde todas as inquietações, pulsões e devaneios da artista ganham corpo estético. Para isso, Sheila faz interferências digitais e físicas em suas fotografias, como o uso de papel artesanal, e trabalha bastante com processos antigos de impressão, como cianótipo e kalitipo.

As imagens são carregadas de reflexões profundas sobre os limites e transposições entre “eu” e o “outro” no âmbito da intimidade, conexões, formas de pensamento e, principalmente, questionamentos. “As conexões, presentes no meu trabalho, que se multiplicam no pensar, nas relações entre os seres e nas relações de espaço, são os meus interesses de pesquisa”, explica Sheila Oliveira.

Para Caru Magano, diretora da Fauna Galeria, o trabalho de Sheila Oliveira representa exatamente a filosofia da instituição. “Nossa ideia é apresentar ao público esses artistas que desenvolvem um trabalho de qualidade não focado apenas na fotografia, mas na fotografia como arte contemporânea, múltipla, repleta de subjetividade e pluralidade”, afirma.

A exposição “Rastro visto de coisa só ouvida” é gratuita e pode ser vista até o dia 24 de maio, de terça a sexta, das 14h às 19h, e sábados, das 11h às 17h.

SERVIÇO

Exposição “Rastro visto de coisa só ouvida”
Abertura: 29 de abril, às 19h
Período: 29 de abril a 24 de maio
Horário: terça a sexta, das 14h às 19h, e sábados, das 11h às 17h
Local: Fauna Galeria – Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 470, Jardim América
Informações: (11) 3668.6572 – www.faunagaleria.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2016 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil