segunda-feira, 9 de março de 2015

Fotografia de casamento fora da zona de conforto

Reconhecido por suas imagens criativas, o fotógrafo Nei Bernardes apresenta alguns exemplos de imagens que fogem do lugar comum. 



Há mais de duas décadas na fotografia de casamento, o fotógrafo Nei Bernardes tem recebido vários prêmios como Fotógrafo Revelação pelo Inspiration Photographers 2014 e Top 50 no mundo pela Fearless em 2013. Reconhecido por suas fotos cheias de criatividade, denomina seu trabalho como uma grande brincadeira de muita responsabilidade.

Quando está fotografando procura prestar muita atenção a tudo que está em sua volta, “porque podemos ter elementos muito importantes ao nosso redor e nem percebermos, elementos que podem ser importantes para os noivos”. Nos ensaios, Nei procura fotografar em locações que tenham sentido para o casal, uma história, algo familiar, local que costumam frequentar, ou onde se conheceram ou até mesmo em alguns casos lugares que eles sonham em conhecer e ainda não tiveram a oportunidade. “E quando tudo isto está reunido, ou seja, noivos, fotógrafo, locação (…), é hora de colocarmos nossa criatividade em prática”.

Mas o que é criatividade? “Gosto muito do conceito de Scoots Adams que diz: ‘Criatividade é permitir a si mesmo cometer erros. Arte é saber quais erros manter’. Eu procuro me permitir errar ao máximo, arrisco muito. Claro que com segurança, sempre vou ter fotografias que garantam o trabalho, para poder me permitir arriscar também. Para mim as sessões de fotos tem que ter este lado mais engraçado, mais aventura, mas, ao mesmo tempo, com boas doses de romantismo e seriedade”.

Abaixo o fotógrafo analisa e explica alguns exemplos:



Estávamos fotografando no lugar onde os avós do noivo moravam no qual ele passou toda a sua infância. Este lugar hoje está praticamente abandonado com apenas alguns bichos que ficam pelo pátio. Já tínhamos feito várias fotos nessa locação e eu tinha um material muito bom, mas estava querendo mais. Eu queria fazer fotos com um porco enorme que estava ali no curral, mas não consegui pensar em nada muito legal e a noiva também não estava gostando da ideia, até que pensei em fotografar com as galinhas. Com muita briga consegui pegar esta galinha. Comecei a planejar a fotografia, posicionei o casal onde eu queria, num contra luz, e num ponto alto de luz do meu enquadramento. Meu assistente ficou ao lado e pedi para que ele jogasse a galinha para cima, pensando que ela iria voar, contando com uma boa dose de sorte para ela voar no lugar certo, ou seja, no ponto mais escuro da foto e ao mesmo tempo sem chamar mais atenção que os noivos. Tínhamos uma única tentativa e deu certo. Alguns fotógrafos questionaram a relação da galinha na cena com os noivos, mas eu gosto dessa imagem porque tem muita história para o casal e não ficou somente uma fotografia “certinha”.



Estávamos indo para o fim do ensaio e considero essa a hora de arriscarmos muito. Comecei a fazer vários testes com o balanço, primeiro meu assistente foi para fazermos um teste e comecei a procurar o melhor ângulo. Entrei no rio, porque ali eu teria este contra luz maravilhoso. Colocamos a noiva e começamos a balançar ela sobre o rio. Depois de várias tentativas, eu já tinha boas fotos, mas eu estava impaciente com o reflexo da luz na água e eu não estava totalmente satisfeito com o resultado, então molhei a mão na água e respinguei na lente, uma 85mm 1.4, fiz um teste e ficou muito louco. Precisava balançar a noiva novamente para ter uma foto que eu confesso não sabia qual seria o resultado, mas eu tinha que experimentar. Ela balançou mais umas 20 vezes até que consegui esta imagem. Destaco que sou muito persistente e persigo a fotografia até dar certo. Acho esta uma dica muito importante para todos os fotógrafos, que não desistam de buscar uma grande imagem.



Esta fotografia fiz no Cânion do Fortaleza em Cambará do Sul – RS. Este lugar tem muita variação no clima, mas neste dia, foi uma loucura total. Tinha muito vento, algo em torno de 80 a 100km por hora. Era muito difícil de caminhar e em alguns pontos até para permanecer de pé estava difícil. Na subida para o ponto mais alto do canion, onde o vento era um pouco mais fraco me veio à ideia de fotografar com velocidade baixa e correr ao lado deles para borrar o fundo e dar esta impressão de movimento. Foram vária tentativas, umas 20, e usei uma velocidade 15 para dar esse efeito.



Estava já no fim do ensaio na cidade Gramado – RS quando começou a chover. Esta foto foi feita no local onde vai acontecer o casamento deles, um lugar com muitos vidros. Comecei a fotografar a noiva através do vidro onde tinham pingos de chuva, e pedia para ela respirar bem fundo e bem pertinho do vidro que começou a embaçar com o calor da respiração dela, e comecei a criar um clima mais de inverno. Quando pedi para o noivo para colocar a mão no vidro pensando em fotografar a mão dele chegando ao rosto dela eu vi um espelhamento muito interessante. Então resolvi posicionar o rosto dele, quase na frente dela (porém do outro lado do vidro – o mesmo que o meu), provocando este espelhamento e a sobreposição da imagem. Eu não costumo fazer sobreposição de imagens na câmera, mas gosto muito de provocar estes efeitos de sobreposições com reflexos.



Esta fotografia fiz no dia do casamento, naquela sessão de fotos do casal rápida, com aproximadamente 20 minutos. Este casamento foi no dia 20 de dezembro e no local da festa tinha uma cortina de luzes de Natal. Fiz várias fotos deles com a lente 85mm para criar um desfoque das luzes bem interessante, mas não estava muito satisfeito com o resultado. Meu tempo tinha terminado, o cabeleireiro estava ali tirando o véu da noiva, quando lembrei que eu tinha na minha mochila uma lente lens baby 35 mm com foco seletivo circular. Na hora coloquei minha assistente e fiz os testes rápidos e ficou muito louco o resultado. Foi só colocar os noivos e fazer várias fotos para acertar o foco, com essa lente que é muito difícil de focar.

Termino com mais uma citação que gosto muito, de Izan Petterle: “A fotografia deve três aspectos: Ela deve ser enigmática, deve evitar ser óbvia! Tem que ser uma foto romântica, que traga junto com isso um certo mistério”.

O fotógrafo Nei Bernardes irá palestrar na sétima edição do congresso Wedding Brasil com o tema “Criatividade”, que acontecerá em Abril em São Paulo. Mais detalhes de sua palestra aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2016 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil