quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Fotógrafa explora como guardamos nossas dores interiores

Fascinada pela morte e o mundo natural, a obra de Hannah Modigh investiga como os seres humanos lidam com a agitação interna


Nascida na Suécia, Hannah Modigh aprendeu desde cedo a mergulhar em um universo próprio. Esta é uma habilidade que ela tem colocado em sua fotografia, quando documenta momentos íntimos em que todos fazem um comentário sobre a natureza transitória do tempo e a efemeridade da vida. "Eu sou atraída por pessoas que estão lutando com a tensão interior e fazendo tudo o que podem - todos os dias - para reprimi-la", diz Modigh. "Eu me volto para o sentimento primeiro, estética vem muito mais tarde", explica. "Eu não estou interessada em dar voz a dor de alguém, não é isso que eu faço. Em vez disso, estou interessada em saber como eles as engolem, no seu silêncio, em sua espera, e no seu luto. "

Com uma qualidade de voyeurista no seu trabalho, Modigh é uma fotógrafa que favorece a espontaneidade em suas composições. Sempre com uma pequena câmera compacta, ela admite que é "uma fotógrafa muito lenta", mas consciente. Ela explica: "A ênfase está em agarrar o momento mais do que tentar produzir uma imagem perfeitamente composta, mas isso leva algum tempo para capturar a tensão subjacente - mesmo quando você sente instintivamente." Como tal, seus temas são detalhes, muitas vezes periféricos ou ocorrências que poderiam passar despercebidas, tolhidas por paisagens naturais e apresentada ao espectador sem título e sem um texto explicativo: "Eu sou muito cautelosa sobre o uso de texto, eu não quero apontar. Eu descreveria meu trabalho como um 'sussurro', eu tranquilamente encorajo as pessoas a se relacionar com um sentimento universal de incerteza. Nada é permanente, porque a morte é onipresente. Numa altura em que nos sentimos tão díspares, pelo menos podemos dizer que todos nós temos isso em comum."

Rastreável dentro de cada um de sua série é um foco sobre a morte e o mundo natural - os dois, ela marca como sinônimos. Mais recentemente Modigh visitou o sul da América para trazer seu projeto, Hurricane Season, à vida. Fotografado na Louisiana - um estado que tem vivido sob a ameaça de desastres naturais iminentes nos últimos 15 anos. Cada uma das imagens estão ligadas a uma narrativa, informada por seis meses a estada de Modigh lá e pelos sentimentos elevados de ansiedade que sentia de uma comunidade vivendo no medo da morte pela natureza."Dada a relação simbiótica e em constante mudança entre a terra e as pessoas, eu queria considerar como uma 'pátria' tem tanto o poder para proteger e para matar."















Fonte: Dazed

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2017 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil