quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Fotógrafo recria seu passado para entender o presente


Inspirado na sua infância, o premiado fotógrafo Thomas Friedrich Schaefer cria cenas em elaborados sets que montou a partir do zero no seu estúdio em Berlim.

Uma das primeiras coisas que Schaefer lembra é de quando se escondia atrás de um sofá no apartamento de seus pais em São Paulo, aterrorizado pelo relógio de cuco. Ou pelo menos ele lembra assim.

O fotógrafo de 33 anos mudou-se para o Brasil saindo de Mainz quando tinha apenas duas semanas de idade, retornando à Alemanha cinco anos depois. Como consequência, suas memórias são uma mistura de dois países e duas línguas.

"Sempre me interessei em como as memórias são formadas e construídas, e como elas mudam ao longo dos anos", diz ele, destacando uma temática que infunde "Experiential Spaces", a série que lhe conquistou a categoria conceitual no Prêmio Felix Schoeller 2015.

A inspiração inicial para a imagem vem de sua infância, mas a cena final, meticulosamente criada durante semanas, assume vida própria. "Lembro-me de meu pai voltando para casa após o trabalho e me encorajando a sentar na mesa e a fazer meus deveres de casa, porque sempre estava jogando futebol com meus amigos."

"Depois disso, esbocei a composição básica em um pedaço de papel - como isso iria desde a primeira sala, da sala da infância, à sala de estar, onde o meu pai está sentado na frente da televisão. Lembro-me que quando criança me sentia triste ou irritado por ter que estudar enquanto meu pai assistia TV, mas acabei de me tornar um pai e agora penso nisso de forma diferente - eu também quero o melhor para meu filho."


O que Schaefer está tentando mostrar é que todas as nossas memórias, por mais vívidas que sejam, são construções - e essas construções mudam conforme nós, nós mesmos, mudamos. Ele continua: "O quarto da criança não é meu quarto - eu nunca tive uma cama de carro, por exemplo, mas eu gosto de construir um personagem. O garoto na sala está em carros e seu pai talvez seja um jogador de futebol, é por isso que ele tem troféus. Eu misturo minhas próprias memórias com memórias sociais que irão desencadear mais sentimentos no espectador."

Cada cena leva entre 200 e 500 horas para criar. Schaefer, que estudou arquitetura na Berliner Technische Kunsthochschule antes de mudar para artes plásticas, constrói conjuntos do zero no estúdio de Berlim com a ajuda de amigos e assistentes. Ele então aproveita as lojas de suporte, os mercados de pulgas e o eBay para objetos e materiais de decoração.
É um processo minucioso. "Durante três dias antes da produção, passo várias horas da noite fazendo uma enorme lista. Cada lápis precisa estar no ângulo perfeito. Cada adesivo é colocado exatamente no lugar certo. É artístico. Eu preciso controlar tudo, quero eliminar o momento fotográfico."

Schaefer fez comissões para a Cruz Vermelha Alemã, para hotéis de luxo e equipe de futebol de Mainz 05, mas seu foco agora é predominantemente o trabalho pessoal. Desde que ganhou o Felix Schoeller Photo Award em 2015, seu trabalho é exibido na América Latina, Austrália e Europa - e, no entanto, foi uma incerteza se ele deveria participar ou não. "Eu tive muita dúvida antes de entrar porque "Experiential Spaces" foi minha primeira série. Quando recebi a ligação eu estava literalmente gritando no meu carro."








Fonte: British Journal of Photography

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2017 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil