quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Viagem fotográfica: por que fazer e como organizar uma?


Tem gente que tem o privilégio de passar a vida viajando e tirando fotos, a gente até já contou a história de Andy Best, um exemplo dos mais representativos dessa escolha. Se você não pretende ser tão ousado, mas tem aquela vontade de viajar a lugares geniais para passar uns dias só fotografando, a gente gostaria de falar um pouco sobre questões a considerar e dar algumas dicas. Vamos nessa?

Por que fazer isso?

Esse poderia ser um assunto para horas de conversa. Tem gente que gosta de sair para fotografar pessoas; outros, paisagens. Também tem quem curta plantas, light painting, fotografia noturna, de animais e por aí vai. Uma coisa é certa: em todos estes casos, ao viajar, encontramos novidades que não estão presentes na nossa rotina.

Mais do que isso, o melhor motivo seria simplesmente porque é bom demais. Você escolhe o destino, quando vai fazê-lo e começa a preparar a viagem. Até o processo é uma delícia. Pesquisas pela internet, decide se vai precisar contratar um serviço de aluguel de carros, vê as condições do tempo, dicas de amigos, e por aí vai.

Pixabay

Há várias coisas por checar e, já que vai perguntar para os colegas fotógrafos: porque não organizar uma viagem de fotografia em grupo? A viagem em si é mais divertida, sai mais barato já que os custos se dividem, colegas com a mesma marca podem compartilhar equipamentos e até depois da viagem é mais interessante, ao acompanhar as postagens nas redes sociais de seus companheiros de viagem. 

Infraestrutura de uma viagem fotográfica

Com a decisão tomada, é partir para o planejamento. Não é hora de esquecer de nada, ou pelo menos não do que é imprescindível. Dessa forma, você tem tudo coberto, do deslocamento ao equipamento, passando pela hospedagem e roteiros de destino.

Equipamento

Pixabay

Quando a gente falava de não esquecer nada imprescindível, nos referimos exatamente a esta parte. Se você estiver viajando para um lugar remoto, mais ainda. Seja pela disponibilidade de lugares para carregar as baterias ou precisar baixar as fotos, veja um checklist básico de todo fotógrafo:
  • Baterias: todas, e carregadas.
  • Lentes: todas. Inclusive as que você não usa sempre, podem ser necessárias. Aliás, talvez você não as use porque, na sua vida cotidiana ou nos lugares de costume, elas não sejam tão usadas. Mas, tudo muda em uma viagem e as oportunidades são diferentes.
  • Corpo da câmera: essa é meio óbvia, não? Mas nunca é demais lembrar. Se tiver um corpo reserva, leve também. Vale até levar aquela analógica que dá um grão original e bucólico às imagens.
  • Cabos, conectores e armazenamento: tudo e todos. E quando falamos todos, são todos mesmo. HDMI pra ver as fotos em tela grande, USB para baixar as imagens direto da câmera (se o leitor do computador não funcionar), cartões limpos e formatados, além de um adaptador, se seu computador não tiver um.
  • Kit de Limpeza: Há lugares nos quais as condições são inóspitas. Poeira, umidade, as duas coisas juntas, tem de tudo. Logo, garantir que você possa manter o equipamento em condições ótimas é ideal.
  • Computador e afins: Se você tiver um notebook, genial, é melhor levar do que depender de computadores alheios. Vale a pena levar um HD externo à mão, pra não perder nada.
  • Suportes: leve o tripé. repetimos: leve o tripé. aliás, tem uma frase que diz que “o tripé é o melhor amigo do fotógrafo”. Há horas em que não dá para improvisar e o tripé é mais do que útil para light painting, fotografia noturna ou quando você fotografa paisagens ou tem uma teleobjetiva muito pesado.

Hospedagem e deslocamento

Na hora de pensar no deslocamento, considere tanto a viagem em si como os traslados locais. Muita gente acaba procurando informações pela internet e não dimensiona as distâncias reais. Nestas horas, é bom considerar ir com seu veículo próprio ou mesmo contar com a conveniência de um aluguel de carros (uma das mais populares é a Unidas Rent a Car, mas tem muitas empresas). O mais importante é não deixar de chegar.

A hospedagem também é um ponto importante. Dizemos isso porque a falta de planejamento pode requerer muitas horas para encontrar um lugar e essas horas poderiam ter sido dedicadas às fotos, ou ao descanso, ou a qualquer outra coisa. Se quiser fugir do esquema comum, pode tentar recorrer ao Couchsurfing e ficar na casa de um local. De repente, quem lhe receba tem até mais dicas de lugares que não estão na vitrine.

No mais, checklist completo? Então, boa viagem e ótimas fotos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2017 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil