quinta-feira, 26 de abril de 2018

Fotógrafa retrata a vida de mulheres islâmicas na Espanha


Em 2 de janeiro de 1492, o sultanato de Granada, Espanha, caiu nas mãos dos monarcas católicos após quase 800 anos de domínio árabe-islâmico. Foi também o fim de Al-Andalus, a Ibéria islâmica. Hoje em dia, os ecos de uma antiga presença muçulmana podem ser encontrados entre uma comunidade de pessoas que espontaneamente escolheu o Islã ao invés do cristianismo como sua religião e Granada como seu lar.

Criada pela fotógrafa Chiara Ferronato em uma época em que os termos "Europa" e "Islã" são muitas vezes vistos como conflitantes, a série fotográfica "Daughters of Al-Andalus", fotografada entre julho de 2015 e janeiro de 2016, concentra-se na vida cotidiana de mulheres nascidas de pais convertidos ou que foram convertidas autonomamente ao Islã mais tarde.

As razões pelas quais Ferronato escolheu concentrar sua atenção nas mulheres são principalmente duas: por um lado, são muitas vezes e na maioria das sociedades consideradas fracas, incapazes de se representar e se tornarem o objeto conveniente de discursos hegemônicos ou condescendentes sobre a inferioridade de outras culturas, sistemas políticos e religiosos. Por outro lado e neste caso específico, o lenço de cabeça que essas mulheres geralmente usam as tornam visivelmente reconhecíveis e, no entanto, abre um espaço para mais discussão e aprendizado.


O objetivo deste projeto é oferecer uma visão mais ampla sobre a estética das mulheres que vivem em harmonia com o meio e incorpora uma possível coexistência da cultura muçulmana e europeia. Na verdade, ao longo dos séculos, o Islã sempre refletiu a cultura nativa dos lugares onde se desenvolveu. O islamismo europeu não é uma exceção a isso: a maneira como essas senhoras são muçulmanas é definitivamente influenciada pelo fato de serem europeias e espanholas. Elas nutrem sua fé islâmica e vivem sob as leis espanholas, seguem as tendências da moda local ajustando-as aos valores islâmicos, não são segregadas para áreas periféricas da cidade, mas sim representam uma presença ativa e visível da paisagem de Granada. Neste momento crítico de estereótipos sobre o Islã e o medo de possíveis invasões na Europa, o risco de usar representações degradantes da condição feminina como uma ferramenta para criar divergências culturais é alto. Portanto, este projeto quer dar uma luz a uma realidade que realmente questiona fronteiras culturais e papéis de gênero - que também são superficialmente definidos pela mídia - a favor de uma convivência pacífica entre espiritualidade e feminilidade ativa.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2018 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil