sexta-feira, 10 de março de 2017

Entre uma viagem de LSD e a Igreja

A fotógrafa Joanne Leah usa as suas experiências como uma raver adolescente que cresceu em uma casa rigorosamente católica para criar um universo torto, colorido e incômodo.


Com sede no Brooklyn, em Nova York, a escultora que virou fotógrafa, Joanne Leah, canalizou suas experiências de crescer em uma família católica rigorosa em uma série fotos impressionante, centrada em fetiche, isolamento e erotismo. O estilo estético de Leah atrai influência do "voyeurismo psicodélico" de sua adolescência, quando ela tomava LSD em raves antes de ser forçada a participar da igreja dominical. Seus retratos explosivos, bonitos e às vezes cômicos do corpo humano refletem seu desejo de desafiar os confins da experiência humana e divertidamente desvendar nosso apego sexualizado aos objetos comuns.

Usando uma variedade de materiais, tais como gelatina, glitter, lodo caseiro e corante alimentar, entre muitos outros, Leah apresenta um mundo que é familiar e estranhamente desapegado; Uma espécie de realidade distorcida que reflete nosso relacionamento erótico com o mundano. "Estou interessado no fetiche dos objetos comuns e no nosso relacionamento físico com eles", diz ela. "Eu estudo como esses objetos nos envolvem (sufocam) e se tornam parte de quem somos. Eu objetifico o corpo para que ele pareça confuso ou quebrado e, finalmente, transformar a imagem em um símbolo que faz parte de sua própria linguagem visual".

Embora Leah nunca pense em sua arte visual como diretamente política, ela admite que suas fotografias estão se tornando mais extremas e grotescas em face de scripts sociais tradicionalistas e da recente eleição. "Meus assuntos são politizados porque eu mudo a maneira como vemos a nudez feminina respondendo aos sistemas políticos, ao fetichismo das mercadorias e ao papel da religião na sociedade", explica Leah. "Todos os seres humanos caem nos sistemas políticos naturalmente e somos todos influenciados por eles." Como muitos de seus contrapartes artísticos, ecoa um sentimento da ansiedade sobre o futuro da liberdade de expressão e de liberdades sexuais, mas melhor que o assento lá quieto, este fotógrafo Está lutando com imagens cada vez mais obscenas e radicais.




















Fonte: Dazed

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2017 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil