sexta-feira, 20 de maio de 2022

Exposição alerta para as consequências da devastação florestal

maio 20, 2022 | por Resumo Fotográfico

Bruno Kelly

Nesta sexta-feira (20), a partir das 19h, a Odisseia Casa de Cultura recebe a exposição “Turi”. Realizada pela Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos no Estado de São Paulo (ARFOC-SP), a mostra reúne fotografias e vídeos produzidos por 24 de seus associados sobre focos de incêndios florestais no país em diferentes épocas.

“Turi”, fogo em tupi-guarani, é um projeto desenvolvido pela diretoria da entidade em 2021 que continua atual à medida que o meio ambiente está cada dia mais sendo devastado. Essa é uma oportunidade de trazer o debate por meio do fotojornalismo e conscientizar para a importância da preservação do meio ambiente e da própria espécie humana.

Participam da mostra: Alan Morici, Andre Penner, Avener Prado, Bruno Kelly, Bruno Santos, Caio Guatell, Carla Carniel, Celso Junior, Edilson Dantas, Ettore Chiereguini, Felipe Beltrame, Gabriela Biló, José Luis da Conceição, Lalo de Almeida, Leonardo Benassatto, Lilo Clareto, Marlene Bergamo, Pedro Chavedar, Rogério Florentino, Tarso Sarraf, Thomaz Vita Neto, Ueslei Marcelino, Werther Santana, Yan Boechat. Participação especial de Rogério Assis.

SERVIÇO
Exposição “Turi”
Abertura: 20 de maio de 2022, às 19h
Período: de 20 de maio à 5 de junho de 2022
Horário: quinta e sexta-feira de 16h às 20h, sábado e domingo de 14h às 19h
Local: Odisseia Casa de Cultura - Alameda Ministro Rocha Azevedo, 463, São Paulo/SP
Informações: www.arfocsp.org.br

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Técnicas Fotográficas: Zooming e Espiral

maio 18, 2022 | por Antonio Marin Jr

Neste artigo, apresento duas técnicas que proporcionam resultados interessantes para adicionar efeitos dinâmicos às fotografias:

Canon 80D - Tempo 1/13s no tripé -  Abertura f/10 - ISO 100 

Zooming

Zooming, ou "puxada de zooming", é um efeito na foto que dá uma sensação de movimento. Cria-se um efeito de riscos direcionados aos cantos da imagem.

Consiste em girar o anel de zoom da objetiva ao mesmo tempo que o obturador permanece aberto, ou seja, apertar o botão ao mesmo tempo em que gira o anel de zoom com a outra mão.

Pode ser zooming OUT , quando a puxada é o de maior zoom para o menor, ou zooming IN, quando você aproxima a imagem rapidamente enquanto aperta o botão.

Não existe uma regra fixa para velocidade do obturador. O ideal é em baixas velocidades com a câmera parada, mas se for segurar a câmera na mão o ideal é velocidade mais alta para que o motivo central não fique desfocado. Pode-se usar também o flash para obter maior nitidez no motivo central da imagem. O flash congela o foco no motivo mesmo em baixa velocidade e o resto da imagem fica em movimento. É um pouco difícil já que mexer na objetiva e clicar ao mesmo tempo costuma desfocar a imagem. Mas, tudo é prática e paciência. Tente sempre fazer o clique logo após iniciar o zoom com o anel da objetiva para que você capture a imagem durante o movimento.

Essas técnicas de fotografia - panning, zooming e espiral - podem ser usadas em vários segmentos da fotografia apesar de não ser tão comum. A diferença é a estética. Cria-se imagens bonitas e diferenciadas. Movimento para fotos esportivas, distorções e brilhos para fotos sociais, fotojornalismo , fine art para quadros, abstrato, entre outros.

Os efeitos que essas técnicas proporcionam com luzes ao fundo são as mais interessantes.

Abertura f/20 - 1/3 seg - ISO 100

Outro efeito interessante do zooming é a sensação de som. A impressão que dá nesse caso é a de um grito que ecoou.

Abertura f/5.6 - 1/40 seg  -  ISO 160

Abertura f/3.6  -  2 seg  -  ISO 250

Clarão do luar -  Abertura f/3.6  -  Exp 1 seg  - ISO 250

Abertura f/11 - Exp 1/10 seg - ISO 100

Espiral - Giro no eixo

Tudo o que foi escrito para o zooming aplica-se também nessa técnica. A diferença é que essa é mais difícil já que é necessário girar a câmera no próprio eixo enquanto faz o clique para dar um efeito espiral na imagem mantendo o motivo central em foco. Essa técnica é possível fazer em qualquer câmera e até em celulares já que não é necessário lentes intercambiáveis.

O mais difícil é manter o foco na hora de girar a câmera. No caso da Canon o ideal é colocar o foco em al servo nessa técnica e também em zooming e panning.
 
Canon 80D - Tempo 1/13 seg - ISO 100

Abertura f/8  -  Exp 1/13 seg  -  ISO 100

Abertura f/25 - Exp 1/20 seg - ISO 100

segunda-feira, 16 de maio de 2022

“Le Violon d'Ingres” de Man Ray torna-se a fotografia mais cara da historia

maio 16, 2022 | por Resumo Fotográfico


No sábado (14), uma impressão da famosa fotografia de Man Ray “Le Violon d'Ingres” (1924), que mostra as costas nuas de uma mulher com efes de violino, foi arrematada por US$ 12,4 milhões - estabelecendo um novo recorde como a fotografia mais cara já vendida em leilão.

A venda ocorreu após um longo período de licitação, que durou quase 10 minutos, durante o leilão da Christie’s em Nova York dedicado à arte surrealista. Liderados pelo leiloeiro Adrien Meyer, dois licitantes ao telefone com os especialistas em fotografia da Christie’s de Nova York e de Paris, Darius Himes e Elodie Morel, disputaram a edição.

A impressão da fotografia de Man Ray, que retrata sua musa Kiki de Montparnasse, é rara por ser considerada uma cópia original. Foi feita na época em que seu negativo correspondente foi produzido pela primeira vez, tornando-a valiosa aos olhos dos especialistas em fotografia.

O resultado superou em três vezes o recorde anterior – estabelecido em 2011, quando “Rhein II” (1999), de Andreas Gursky, foi vendida na Christie’s por US$ 4,3 milhões. Também quebrou o recorde anterior de uma fotografia de Man Ray, estabelecido em 2017, quando uma edição original de “Noire et Blanche” (1926) foi vendida por US$ 3 milhões na Christie's em Paris.

terça-feira, 10 de maio de 2022

“Shot Sage Blue Marilyn” de Andy Warhol é leiloada por R$ 1 bilhão

maio 10, 2022 | por Resumo Fotográfico


“Shot Sage Blue Marilyn” fotografada por uma visitante na Christie's de Nova York | Foto: Angela Weiss / AFP

Na segunda feira (9), a obra “Shot Sage Blue Marilyn” do artista norte-americano Andy Warhol foi arrematada por US$ 195 milhões (cerca de R$ 1 bilhão na cotação atual) em leilão realizado pela Christie's, em Nova York. A compra foi intermediada pelo marchand e galerista Larry Gagosian, porém, o comprador não teve a identidade revelada.

Shot Marilyns

Considerada um dos principais ícones da arte do século 20, a obra de Andy Warhol integra uma série de serigrafias chamada “Shot Marilyns”, de 1964. As imagens foram feitas a partir de uma fotografia da atriz Marilyn Monroe tomada por Eugene Korman para a divulgação do filme “Niagara”, em 1953. Usando a fotografia de Korman como base, Warhol pintou cinco Marilyns com diferentes fundos coloridos: vermelho, laranja, azul claro, azul sálvia e turquesa.

Marilyn Monroe por Eugene Korman, 1953

quarta-feira, 4 de maio de 2022

Técnica Fotográfica: Panning

maio 04, 2022 | por Antonio Marin Jr

Está é minha primeira postagem como colaborador do Resumo Fotográfico. É um prazer fazer parte desse time importante para a fotografia. Agradeço e espero poder colaborar com a fotografia que para alguns é um hobby, para outros uma profissão.



A fotografia não é apenas apertar um botão. Existem várias técnicas e tipos de fotografias. Uma delas chama-se Panning.
 
Fotografia panning consiste em focar e acompanhar um motivo em movimento usando baixa velocidade do obturador. Essa técnica faz com que o fundo da cena fique borrada, ou toda riscada, dando uma sensação de movimento. Ou seja, a câmera foca o motivo - um carro, uma moto, uma pessoa - em movimento, acompanha e faz o disparo, ou disparos.
 
Parece difícil, mas com a prática dá para conseguir ótimos resultados.
 
Vou resumir de forma bem simples uma sequência ideal para se conseguir essa técnica: 
  1. Foque o motivo e acompanhe segurando a câmera bem firme. De preferência use o foco pontual e modo manual.

  2. Coloque no modo disparo contínuo, assim fica mais fácil acertar o foco do motivo em uma ou mais fotos.

  3. Utilize a velocidade do obturador entre 1/20 e 1/40, mas isso vai depender da velocidade do motivo além da luz disponível no momento. Lembre-se dos três pilares da fotografia, ISO/ Abertura do Diafragma/Velocidade do Obturador. Se os motivos estiverem passando em alta velocidade, numa corrida por exemplo, deve-se aumentar a velocidade do obturador, 1/50 - 1/60, para se conseguir um foco perfeito e mais fácil.
Com a prática você acaba aprendendo as melhores configurações do seu equipamento.
 
Panning é uma técnica que é possível fazer em qualquer câmera, inclusive celulares. Basta configurar de acordo com os itens acima.
 
Seguem algumas fotos minhas feitas com essa técnica: