quarta-feira, 19 de abril de 2017

Comida di Buteco causa polêmica com as fotos dos petiscos

No blog Saideira, do site do jornal O Globo, a jornalista Marcela Sobral publicou um comparativo entre as imagens criadas para a divulgação do evento gastronômico Comida di Buteco, no Rio. As fotos oficiais foram feitas por estudantes, porém, muitos bares optaram por utilizar imagens produzidas por profissionais da área.

Bar da Gema: Ciscadinha: drumets de frango temperados com mix de ervas, na farofa de canjiquinha com bacon
Foto 1: Equipe UNISUAM / Foto 2: Gabriel Cavalcante

Já é tradição na cidade. Há dez anos a divulgação dos petiscos do Comida di Buteco deixa os fãs do concurso com água na boca enquanto decidem o roteiro de bares a serem explorados. Este ano a receita parece ter desandado. Faltou tempero nas fotos oficiais produzidas por alunos de uma faculdade parceira do concurso. O zum-zum-zum entre um petisco e outro foi geral.

- A missão do Comida di Buteco é transformar vidas através da cozinha e produzir, de fato, histórias de inclusão. Nada mais justo do que proporcionar aos alunos a oportunidade de participar de forma relevante no concurso. É uma oportunidade de praticarem o que estão estudando, esta é a forma que encontramos de incluí-los no nosso propósito - justificou Flávia Rocha, uma das sócias do concurso.

O pessoal que entende tudo das biroscas sabe disso, mas não se deu por vencido e foi em busca de cliques que realmente fizessem jus aos petiscos concorrentes. E numa espécie de "expectativa x realidade" às avessas, vários bares decidiram fazer fotos extraoficiais para divulgar seus petiscos.

- Depois de ver e não gostar das fotos oficiais, alguns bares me procuraram porque estão acostumados com fotos profissionais que valorizam o seu trabalho. Ofereci uma opção que mostrasse um outro olhar. Um olhar "não oficial", mais despojado, e com um pouco mais de movimento - conta o fotógrafo Berg Silva. - Eu sempre frequento estes bares como fotógrafo, como cliente, e como amigo dos donos. Somos todos fãs destes botecos que representam a alma do carioca. Queremos que sempre tudo que eles façam dê certo! Tenho prazer em fotografar seus pratos.

Bar da Portuguesa: Carinhoso: Três pastéis nos sabores bacalhau, jiló com camarão e Romeu e Julieta
Foto 1: Equipe UNISUAM / Foto 2: Berg Silva

Cacetinho do Sat´s: Sanduíche de pão de trigo com carne de músculo assado e desfiado, no molho de cerveja preta
Foto 1: Equipe UNISUAM / Foto 2: Berg Silva

A lista não é pequena: Cachambeer, Bar do Momo, Bar da Portuguesa, Bode Cheiroso, Os Imortais, Galeto Sat´s, o Rio Antigo... Para a organização, a ação dos bares é desnecessária.

- É uma opção deles, mas não recomendamos por não achar necessário esse investimento. As fotos são importantes, mas o mais importante é o impacto que cada um gera ao receber o público em seu “buteco”. É isso que perseguimos o tempo todo: gerar histórias de sucesso onde ninguém via relevância ou dava voz - acredita Flávia.

Acontece que fotografar comida é um grande desafio até mesmo para profissionais craques em cliques de gastronomia e com anos de estrada.

- Além de técnica, luz e composição, fotos de gastronomia precisam ter um quê a mais. Têm que mexer com os sentimentos, despertar a vontade do outro de experimentar aquela comida - explica Fábio Rossi, que fez fotos para a capa da última edição do Rio Show e foi o fotógrafo oficial do concurso nas duas primeiras edições. - Fotos de gastronomia têm vida, tem alma. Por trás de um simples prato, tem um chef que colocou ali carinho, sentimentos. Passar isso para o público é fundamental.

A foto que o Bar da Gema está usando em suas redes sociais também não é a oficial. O bar preferiu usar o registro de um cliente amigo e frequentador assíduo do botequim. A Ciscadinha, uma cestinha com drumetes de frango temperados com mix de ervas, mergulhados na farofa de canjiquinha com bacon, ganhou outra cara.

- Todo ano chamamos o Gabriel Cavalcante para provar o petisco antes de começar o concurso e ele tira fotos para postar depois. E esse ano aproveitamos a foto dele para divulgar o nosso petisco nas nossas redes sociais - conta Leandro, do Bar da Gema.

- Gosto de fazer as fotos no local, para captar justamente a alma do lugar. Mesmo nas fotos mais fechadas, sem pegar o ambiente, a comida tem mais brilho, mais vontade de devorá-la. Pega a alma do buteco - completa Rossi.

Cachambeer: Porquinho Disfarçado de Penosa ciscando na Canjiquinha
Foto 1: Equipe UNISUAM / Foto 2: Berg Silva

Os Imortais: As coxinhas da vovó: drumets mergulhados no cream-cheesse e empanados em massa de milho com temperos, acompanha geleia de pimenta
Foto 1: Equipe UNISUAM / Foto 2: Berg Silva

Bode Cheiroso: Vai fundo! Debaixo do angú tem carne... de porco!: pernil desfiado em seu próprio molho, com polenta cremosa e gratinada com provolone | Foto 1: Equipe UNISUAM/Foto 2: Berg Silva

Bar Urca: Moelinha no churrasco da goiaba: bolinho com massa crocante de mix de cerais com recheio cremoso de moela ao vinho | Foto 1: Equipe UNISUAM/Foto 2: Fábio Rossi

Barbache: bolinhos de costela no bafo, de arroz de carreteiro e polenta frita servidos com molhos especiais | Foto 1: Equipe UNISUAM/Foto 2: Fábio Rossi

Art Chopp: Buquê de berinjela, chuva de flocos de milho, porque eu amo muito ela e não saio mais do trilho | Foto1: Equipe UNISUAM/Foto 2: Rodrigo Galvão

Duque: Porco não Chia: mini kaftas suínas com chia no palito, molho de hortelã com dedo de moça e farofinha de milho com bacon | Foto 1: Equipe UNISUAM/Foto 2: Fábio Rossi

via O Globo | Saideira

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2017 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil