quarta-feira, 6 de março de 2019

Dickey Chapelle, uma fotógrafa de guerra da década de 1940


Georgette Louise Meyer, mas conhecida como Dickey Chapelle, foi uma fotojornalista de guerra norte-americana. Aos 23 anos ela teve seu primeiro contato com a guerra ao cobrir um treinamento do Exército no Panamá, para a revista Look. Ela passou a maior parte da sua carreira fotografando eventos históricos, da Batalha de Iwo Jima à Guerra do Vietnã.

Dickey Chapelle nasceu em 14 de março de 1919 em Milwaukee, Wisconsin. Ainda jovem, mudou-se para Nova York, onde conheceu seu futuro marido, Tony Chapelle, e começou a trabalhar como fotógrafa. Chapelle e seu marido atravessaram o Oriente Médio e a Ásia com a recém-formada agência de ajuda humanitária AVISO – American Voluntary Information Services Overseas.

Dickey Chapelle, San Diego, 1955 | Fotógrafo desconhecido

Em 1956, Chapelle acompanhava uma missão humanitária levando ajuda a refugiados húngaros. Ela foi detida pela polícia secreta húngara e ficou presa por dois meses, a maior parte do tempo na solitária. Embora abalada pelo incidente, a linha de frente estava em seu sangue. No mesmo ano ela voltou a trabalhar fotografando rebeldes argelinos e no ano seguinte, Fidel Castro.

“Você pode fazer qualquer coisa que você queira fazer, se você quiser muito fazê-lo, irá desistir de qualquer outra coisa para isso”, disse ela em sua biografia “Fire in the Wind”.

Em 1963, durante a Guerra do Vietnã, Chapelle registrou a primeira foto de um soldado americano ativamente envolvido no combate, ferido no abdome. A revista National Geographic publicou a foto apesar dos protestos do Pentágono, proporcionando a Chapelle o prêmio de "Fotografia do Ano" da National Press Photographers Association.

Cabo William Fenton a espera de tratamento a bordo de um navio | Foto: Dickey Chapelle

Chapelle retornou ao Vietnã com uma unidade da Marinha em 1965. Enquanto acompanhava uma patrulha, um fuzileiro naval detonou uma mina que atirou estilhaços por todos os lados. Um dos fragmentos acertou o pescoço da fotógrafa, cortando sua a artéria carótida. Chapelle tornou-se a primeira jornalista americana a ser morta enquanto cobria uma guerra.

Em uma inversão de papéis, a mulher por trás da câmera, tornou-se a fotografia. O fotógrafo Henri Huet, da Associated Press, fotografou o Capelão John MacNamara enquanto ele fazia o sinal da cruz sobre o corpo curvado de Chapelle. Seu brinco de pérola inconfundível alinhado ao lóbulo de sua orelha. Seu chapéu fora arremessado na grama. Veja abaixo algumas das fotos de Chapelle:

Soldados do Exército durante treinamento no Panamá, em 1942 | Foto: Dickey Chapelle

Jovem é executado por pelotão de fuzilamento de rebeldes argelinos, em 1957 | Foto: Dickey Chapelle

Soldados sul-vietnamitas durante um confronto de artilharia por volta de 1961-62 | Foto: Dickey Chapelle

Dois prisioneiros vietcongues são observados através de uma janela coberta por arame farpado, entre 1961-1965 | Foto: Dickey Chapelle

Tropas vietnamitas viajam subindo um rio, por volta de 1961-1962 | Foto: Dickey Chapelle

Um grupo do exército de Fidel Castro, por volta de 1958-1959 | Foto: Dickey Chapelle

Fidel e Raul Castro posam com uma bazuca durante a Revolução Cubana, em 1958 | Foto: Dickey Chapelle

Artigo publicado originalmente no site iPhoto Channel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COMUNICAR ERRO

0 comentários:

Postar um comentário

 
Copyright © 2010-2019 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil