quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Sobre fotografia e algumas ambivalências

agosto 06, 2020 | por Adriana Vianna


Nem só de ação vivem os fotógrafos. Quando é preciso parar para pensar pode ser uma boa revisitar um clássico sobre fotografia, uma literatura que espreitou a ação fotográfica enquanto essa buscava empunhar-se em diversos perfis ao longo de sua recente história. Susan Sontag com On photography tornou-se esse clássico que traz uma série de seis ensaios reunidos no ano de 1977 nessa primeira edição coletiva. "Sobre fotografia" nasceu da inquietação e investigação filosófica quanto ao que era praticado em sua época, sobretudo nas questões da relação entre política e poética no surgimento de uma estética que não existia antes. Parece que tudo começou na infância quando Susan, aos doze anos de idade, foi terrivelmente marcada pela visão de fotografias que revelavam os campos de concentração. As imagens suscitaram-lhe uma profunda comoção: "Quando olhei para aquelas fotos, algo quebrou dentro de mim". Suas críticas, seus pontos positivos e negativos passaram a analisar a ambivalência nos trabalhos fotográficos que trazem um mundo revelado, mas que também torturam a consciência; que suscitam um humanismo em alta para logo em seguida sugerir que todos os assuntos são objetos problemáticos. As suas análises trouxeram, e ainda trazem, reações diversas entre os aficionados da fotografia, pois sua perspectiva concisa espreita a verdade entre ambiguidades: entre o bonito e o feio; o real, o registro e a expressão, a evidência e a sua suposição.

Nossa Avant garde do pensamento moderno empunhou a bandeira de uma possível aventura fotográfica a partir de uma experiência pessoal livre que ela chama de "visão fotográfica" - ao mesmo tempo - comprometida com o processo fotográfico quando afirma que "fotografar é apropriar-se da coisa fotografada" pressupondo uma ideia de "poder" a partir da captura de imagens que revelam mundos que nem todos tem acesso e, portanto, o fotógrafo seria também um portador desses mundos visíveis para uns e invisíveis para outros. A nomeação de que "fotografias fornecem um testemunho" e "testemunham a dissolução implacável do tempo" estimula esse poder que tornou o fotógrafo, em certa medida, um guardião de seus eventos e esses eventos não deveriam sofrer intervenções: "a pessoa que interfere não pode registrar; a pessoa que registra não pode interferir". Contudo, a ideia de uma fotografia impessoal ou neutra também cedeu lugar ao pensamento de que todo fotógrafo tem, de modo inerente, uma interpretação do mundo, um páthos em relação ao assunto fotografado, tornando muito improvável a dissociação da fotografia da realidade subjetiva. Com muitos exemplos fotográficos citados no livro sem usar uma só imagem, Susan Sontag provocou a sensibilidade para os fenômenos que ela percebia nas mudanças da consciência e inteligência acerca da fotografia na era moderna que parece estar sempre entre ambiguidades.

Susan Sontag (1933-2004) foi uma americana literária de pensamento liberal, e absolutamente contra as políticas de guerra de seu país. Desde a década de 60 esteve muito envolvida com produções de aulas, romances e ensaios. Em 1977 recebeu excelentes críticas por On Photography.

SONTAG, Susan. Sobre fotografia, Editora Companhia das Letras, 2004.

domingo, 2 de agosto de 2020

Convocatória Cali Foto Fest 2020

agosto 02, 2020 | por Thais Andressa


Estão abertas as inscrições para o Cali Foto Fest 2020, idealizado pelo Coletivo fotográfico colombiano Cámara Expandida. O evento será realizado virtualmente entre 1° e 30 de outubro, e contará com diversas atividades, desde oficinas à exposições. De acordo com Carlos Arce, um dos organizadores, o festival nasceu a partir da necessidade de tornar visível a fotografia experimental e os processos criativos de artistas emergentes em todo o mundo. A Chamada abrange fotógrafos, estudantes, designers gráficos, entusiastas e artistas, que experimentem a fotografia como expressão visual e mediação de processos; sejam em propostas individuais ou coletivas. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até 1° de setembro de 2020.

Arce ressalta a importância de um diálogo virtual que promova arte e cultura. “A pandemia gerou perguntas e reflexões. Estamos condicionados à mídia virtual, gerando novos diálogos e propostas que refletem sobre o estado da arte no momento. Como artistas, conhecemos a responsabilidade que temos no campo cultural da sociedade; portanto, vemos o festival como uma oportunidade de crescer em âmbito pessoal, ajudando uns aos outros e motivando a criação artística”, conclui. O edital com todas as informações, e o formulário de inscrição, podem ser conferidos no site. Acesse o Instagram do festival e acompanhe as novidades.

sábado, 1 de agosto de 2020

Faça parte da nossa equipe

agosto 01, 2020 | por Resumo Fotográfico


Estamos a procura de novos colaboradores em diferentes segmentos. Se você é apaixonado por fotografia e tem interesse em compartilhar conhecimento, leia com atenção e entre em contato para colaborar em algum destes segmentos:

Editor de conteúdo
Será responsável por manter o site atualizado, definir as pautas junto aos demais colaboradores, revisar e programar os artigos e demais conteúdos produzidos.
Perfil: Jornalista ou estudante de jornalismo com experiência em fotografia, redação, edição e revisão de texto para sites e redes sociais.
Vagas: 1


Editor de vídeo
Será responsável pela produção e edição de pequenos vídeos para publicação em nosso canal no Youtube, que serão compartilhados através do site e demais redes sociais. O colaborador terá liberdade editorial e gráfica para produzir o conteúdo como achar melhor, desde que esteja em conformidade com a nossa linha editorial e identidade visual. Os ganhos gerados com publicidade dos vídeos serão compartilhados proporcionalmente.
Perfil: Designer ou estudante com experiência da criação de vídeos para web.
Vagas: 1


Redator
O candidato deve se comprometer a publicar semanalmente, seguindo as orientações do editor e as normas de publicação: conteúdos com notícias variadas (exposições, palestras, cursos, curiosidades e diversos assuntos relacionados à fotografia), ensaios produzidos por fotógrafos relevantes no meio e tradução de artigos do inglês para o português.
Perfil: Estudantes ou profissionais nas áreas de Comunicação, Letras, Artes e Fotografia, que tenham boa redação e interesse em fotografia. Conhecimento em inglês é um diferencial.
Vagas: 4


Social media
Será responsável por atualizar as redes sociais no Facebook e Instagram, através da ferramenta Estúdio de Criação, compartilhando as últimas publicações do site e demais conteúdos, além de interagir com nossos leitores.
Perfil: Estudantes de Comunicação com experiência em gestão de redes sociais.
Vagas: 1


ATENÇÃO: o trabalho é voluntário. Isso significa que não há vínculo ou remuneração direta. Porém, além de produzir conteúdo informativo, os colaboradores poderão criar também conteúdo monetizado, utilizando o espaço para divulgar produtos e serviços de afiliados (que geram comissão), criar artigos patrocinados ou vender links e banners.

Interessou? Envie um e-mail até o dia 30 de agosto para contato@resumofotografico.com com o assunto "Quero fazer parte da equipe do Resumo Fotográfico", informando no corpo do texto os seguintes dados: nome completo, idade, formação, site ou blog (se tiver), currículo resumido e indicando qual segmento pretende colaborar.

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Convocatória Dodho Magazine #14

julho 30, 2020 | por Resumo Fotográfico


Estão abertas as inscrições para a convocatória da Dodho, revista especializada em fotografia que está selecionando ensaios para sua próxima edição impressa. A publicação tem como objetivo divulgar e promover o trabalho de fotógrafos emergentes e estabelecidos de todo o mundo.

A revista Dodho é distribuída gratuitamente em formato impresso e digital, exclusivamente para a maioria dos profissionais e especialistas da industria da fotografia de todo o mundo, começando com as mais importante galerias, festivais, agências e editoras.

As inscrições podem ser feitas através do site da convocatória, até o dia 31 de agosto de 2020, em duas modalidades: Cover e Magazine. As fotografias inscritas serão avaliadas em quatro elementos decisivos: técnica, composição, fatores emocionais e estilo.

Leia a convocatória.

terça-feira, 28 de julho de 2020

Fotógrafo espera 6 dias para registrar leopardo e pantera negra juntos

julho 28, 2020 | por Resumo Fotográfico


Vivendo em uma cidade grande, cheia de carros em movimento, edifícios imensamente enormes e pessoas que estão constantemente correndo para algum lugar, é muito fácil perder de vista todos os milagres que nossa Mãe Natureza possui. Felizmente, existem fotógrafos talentosos que sempre encontram uma maneira de nos lembrar disso. Um deles é o indiano Mithun.

Recentemente, Mithun compartilhou uma fotografia em que ele conseguiu capturar uma visão notável de um leopardo e uma pantera negra ao lado, como se fosse a sua sombra. Além dessa situação inusitada, os dois gatos estão olhando com calma para a câmera. A foto rapidamente se tornou viral, já que as pessoas ficaram impressionadas com essa visão espetacular.

Em entrevista ao site Bored Panda, o fotógrafo explicou como seu conhecimento e os anos de experiência em seguir e rastrear esses animais foram úteis. Mithun contou ainda que o registro exigiu muita paciência para esperar por seis dias no mesmo lugar. Foi uma espera frutífera, no entanto. “Eu poderia esperar 6 anos por um momento como esse.”

Para conhecer mais sobre o trabalho de Mithun, acesse seu Facebook ou Instagram.

domingo, 26 de julho de 2020

Fotojornalistas enfrentam desafio de ir às ruas durante pandemia

julho 26, 2020 | por Resumo Fotográfico

Na vida de muitos profissionais, não há espaço para o distanciamento social exigido pela quarentena. O Repórter Brasil conversou com fotojornalistas que têm enfrentado o desafio de ir às ruas e imortalizar as cenas dessa nova realidade. Registros que serão vistos no futuro como retratos de um dos períodos mais difíceis do nosso tempo. Assista abaixo:


Fonte: TV Brasil

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Ensaio: “Cognição”, de Junior Franco

julho 24, 2020 | por Resumo Fotográfico


Na série “Cognição”, o fotógrafo carioca Junior Franco apresenta um conjunto de imagens que misturam pintura, performance e fotografia. Através do registro da projeção de obras clássicas sobre os corpos de modelos em pose, Franco propõe a desconstrução e atualização da História da Arte, considerando questões pertinentes à época atual.

“Temos que desmistificar o conceito do sagrado nas obras de arte e mostrar que existem, hoje, problematizações muito mais pungentes, como: a questão de gêneros, a desigualdade social, o preconceito racial, a deterioração da saúde na busca pelo corpo ideal, etc. Meu questionamento é uma forma contemporânea de se repensar essas obras.”

“Quero quebrar aqui todo tipo de preconceito, perfeições e deslumbramentos que aprendemos através da Arte Clássica. Praticamente fomos catequizados através dos anos com os seguintes conceitos: o corpo perfeito é o corpo ideal, a pele perfeita é a pele ideal, os comportamentos e modos perfeitos são os ideais. Será mesmo?”



Influenciado pelo artista catalão Joan Fontcuberta, Franco convida o espectador a olhar além da obra de arte, agora transformada numa fotografia com cores saturadas e altos contrastes que ora evidenciam, ora escondem os corpos por entre vestes e cenários. “Trata-se de uma nova realidade, idealista ou não, dotada de peles marcadas pelas influências dos nossos dias.”

“A saída que encontrei para fazer essa quebra de paradigma foi provocando o observador. Produzindo uma fotografia que ative consciências, que produza reações e que convide o público a reflexão. Mas como isso acontece? Através da ilusão cognitiva que faça com que seu cérebro não consiga diferenciar o que é corpo – real – e o que é imagem – idealizada.”

“As pessoas inseridas nas cenas passam a fazer parte delas (cenas) assumindo o lugar dos personagens, mimetizando seus movimentos, comportamentos e expressões. Essa inserção pode provocar um estranhamento; mas, ao olhar com cuidado, poderá ser observado que ali se criou uma nova imagem, uma 'imagem outra', carregada de novos conceitos e novos significados.”

“Mas afinal, o que na nossa vida é real? O que é ideal? Ideal para quem?”








Sobre o fotógrafo

Cursou Fotografia pelo Senac/RJ, profissionalizou-se como Repórter Fotográfico e hoje é Pós-Graduado em Fotografia e Imagem no IUPERJ - UCAM/RJ. Integra a coleção Joaquim Paiva de fotografia brasileira contemporânea, incorporada ao acervo do Museu de Arte Moderna do Rio (MAM-RJ). Vencedor do 7º Salão de Artes Visuais de Niterói 2019 (Niterói/RJ).

Selecionado nas convocatórias: Emergências do Sul Global – FestFoto 2020 (Porto Alegre/RS); Portfólios – Festival Interfoto Itu 2019 (Itu/SP); Festival Street Expo Photo 2019 (Porto Alegre/RS); Selfie em Foco – Festival Paraty em Foco 2018 (Paraty/RJ).

Para conhecer mais sobre o trabalho de Junior Franco, acesse seu portfólio online.

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Ensaio: “Passagens”, de Vanessa Stollar

julho 22, 2020 | por Resumo Fotográfico


Na série “Passagens”, Vanessa Stollar apresenta uma seleção de fotografias tiradas em diferentes épocas e lugares. A escolha é baseado na obra de mesmo nome do filósofo Walter Benjamin, e o seu conceito de alegoria em que a reabilitação da alegoria é o resgate da temporalidade e da historicidade em oposição ao ideal de eternidade que o símbolo encarna.

Segundo Jeanne Marie Gagnebin, “a alegoria extrai sua vida do abismo entre expressão e significação”. Enquanto o símbolo aponta para a eternidade da beleza, a alegoria ressalta a impossibilidade de um sentido eterno, e a necessidade de preservar na temporalidade e na historicidade para construir significações transitórias.
“Walter Benjamin, vai ao encontro do que eu quero propor, ou seja, um diálogo entre o ser e consciência cultural, e uma forma uma de apreensão do mundo para além do conhecimento científico”, explica Stollar.









Sobre a fotógrafa

Vanessa Stollar é formada em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Cásper Líbero, onde trabalhou no laboratório de fotografia p&b e estúdio fotográfico. Trabalhou como fotojornalista freelancer e fotógrafa de eventos. É professora de arte e fotógrafa de rua.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Vanessa Stollar, acesse: vanessastollar.46graus.com.

segunda-feira, 20 de julho de 2020

Ensaio: “Pralém da morte, há vidas muitas”, de Gabriel Bicho

julho 20, 2020 | por Resumo Fotográfico

Na série “Pralém da morte, há vidas muitas”, o fotógrafo rondoniense Gabriel Bicho documentou a festa de Nossa Senhora da Boa Morte, na cidade de Cachoeira, Recôncavo baiano.
“Fui à cidade para o festejo e permaneci por sete dias, registrando todas as atividades relacionadas à Nossa Senhora, desde a primeira peregrinação de abertura ao evento musical de encerramento, passando pelas cessões de ritos, missas e oferendas, assim como os enormes banquetes servidos durante o almoço para os participantes e público no geral. Sem dúvida foi uma das experiências mais fortes que vivenciei ao longo desses quase dez anos trabalhando como fotógrafo.”


Sobre o fotógrafo

Graduando em Museologia e formado em Técnico em Processos Fotográficos, Gabriel Bicho possui em sua trajetória exposições individuais realizadas na Galeria de Arte SESC, em Rio Branco/AC, Galeria de Arte do Teatro Aracy Balabanian, em Campo Grande/MS, Salão Angelim - FURB, em Blumenau/SC. Em 2018 venceu o Farofa - Festival de Fotografia com o trabalho Têmpora In Ngô Meitire; além de ter participado de exposições coletivas como a III Bienal do Sertão, Festival de la Luz no Centro Cultural Recoleta, em Buenos Aires, Salão Nacional de Fotografia Pérsio Galembeck, Goyazes - Festival de Fotografia e Centre Culturel du Brésil, em Paris; em 2017 foi um dos brasileiros a terem uma obra exibida na 57ª Bienal de Veneza, Itália. Possui obras em acervos de museus como o MAR - Museu de Arte do Rio e o MAPA - Museu de Artes Plásticas de Anápolis.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Gabriel, acesse: www.gabrielbicho.com.

quinta-feira, 16 de julho de 2020

Portfólio: Arquitetura, de Ary Attab

julho 16, 2020 | por Resumo Fotográfico


Através da linguagem fotográfica monocromática, entre linhas retas e curvas, padrões e texturas, o advogado e fotógrafo amador Ary Attab faz uma interpretação abstrata da arquitetura de grandes centros urbanos por onde passa.
“Sempre fotografei de tudo um pouco, especialmente arquitetura. Em 2012, filiei-me ao Foto Clube Bandeirantes de São Paulo, e comecei a participar de salões e concursos.”
Natural de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, ele já teve suas imagens selecionadas e premiadas em diversas convocatórias, festivais e salões pelo Brasil, Portugal e Espanha. Veja algumas de suas fotografias de arquitetura:


Para conhecer mais, acesse: www.aryattab.com.br