segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Exposição discute o existencialismo através do nu artístico


Segue em cartaz na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro a mostra “Filografia”, que reúne diversas imagens existencialistas da artista visual Amanda Morais. A proposta é refletir sobre as angústias da vida humana e a nossa relação com o universo, em um processo de fotografia experimental, vivencial e catártico.

Com curadoria de Hernani Heffner, “Filografia” apresenta as questões filosóficas da autora através da escrita e da arte visual, que surgem decorrente a diversas crises existenciais e seus estudos no campo da Psicologia. Essas expressões visuais são feitas por meio de uma série de nu artístico, realizada com uma profunda identificação com a linha Surrealista.

SERVIÇO

Exposição “Filografia”
Data: até 31 de agosto de 2017
Horário: de terça a sexta-feira, de 14h às 18h.
Local: Cinemateca do MAM - Avenida Infante Dom Henrique, 85, Rio de Janeiro
Entrada gratuita


domingo, 20 de agosto de 2017

Galeria Garagem lança versão online da exposição "Auto"

Autorretrato de Micael Bergamaschi, Rio de Janeiro, 2016

Neste domingo (20), a Galeria Garagem lançou a versão online da exposição "Auto", que teve abertura no sábado (19), durante o Dia Mundial da Fotografia.

A exposição reúne 24 autorretratos selecionados durante a Convocatória Garagem #2. As 12 fotografias finalistas foram impressas pela Lab Prophoto em papel silk no tamanho 30 x 45 cm e colocadas em exibição na galeria física. Os autores das 3 fotos mais votadas pelo público presente até o dia 2 de setembro serão premiados com cursos da iPhotoPlay.

Os demais 12 trabalhos que receberam Menção Honrosa integraram um fotolivro que foi impresso exclusivamente para a mostra e estará disponível para a apreciação durante todo o período de exposição, além de fazerem parte também da exposição online.

A exposição física pode ser visitada até o dia 17 de setembro de 2017 no Espaço Cultural 1001, que fica na Rua Dom Lúcio Antunes, 1001, bairro Coração Eucarístico, Belo Horizonte.

sábado, 19 de agosto de 2017

Michael Wesely e Gilvan Barreto abrem mostras simultâneas em São Paulo

Reunindo o alemão Michael Wesely e o brasileiro Gilvan Barreto, a Casa Nova inaugura na terça (22) duas exposições em que a fotografia é mídia de diálogo com as inquietações do tempo presente
Gilvan Barreto

A partir da próxima terça-feira (22), o público paulistano tem a oportunidade de conferir os trabalhos do alemão Michael Wesely e do brasileiro Gilvan Barreto, dois destaques na cena artística contemporânea, que expõem pela primeira vez no mesmo local em duas mostras individuais simultâneas. “O cerne da ideia foi levar ao público um conjunto de obras que são relevantes para a reflexão do que está acontecendo hoje no Brasil, a partir dos olhares de um artista estrangeiro e outro brasileiro”, explica Adriano Casanova, diretor da Casa Nova Arte e Cultura Contemporânea e curador das duas mostras.

Wesely e Barreto têm como marca o emprego da fotografia como mídia em suas construções artísticas, gerando diálogos peculiares com as tensões e as nuances da contemporaneidade em seus mais diversos fragmentos. Resultam desse exercício duas trajetórias repletas de solidez conceitual, lapidadas ao longo de décadas e que vêm angariando cada vez mais reconhecimento e premiações.

Internacionalmente conhecido por seus experimentos com técnicas de longa exposição, Michael Wesely tem hoje obras no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMa), entre outras coleções relevantes. No ano passado, durante a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, produziu registros que sobrepõem mais de sete horas de movimentação popular nas ruas de São Paulo e foram selecionados para integrar a Frestas Trienal de Arte de Sorocaba deste ano.

Michael Wesely

Em sua individual na Casa Nova Arte, o artista alemão exibe um recorte de 12 trabalhos que compõem um panorama de diferentes momentos na sua trajetória. Revela-se um peculiar olhar estrangeiro sobre o Brasil, com direito a um inédito retrato do arquiteto Oscar Niemeyer feito em 2003. Há ainda fotos da série Expedições (feitas em 2003 em cidades da região norte brasileira e expostas uma única vez em Brasília já há 13 anos), além de “naturezas mortas” em que o processo de apodrecimento de frutas é registrado pelo artista empregando a longa exposição para gerar abstrações.

Já o pernambucano Gilvan Barreto traz a São Paulo pela primeira vez a sua série “Postcards from Brazil”, vencedora do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger. “É uma espécie de atlas da violência nacional promovida pela ditadura militar brasileira”, diz Barreto sobre os trabalhos. A partir de um acervo de cartões postais, ele aponta a localização de paisagens exuberantes que serviram de cenário para torturas, assassinatos e ocultação de cadáveres de quase 500 pessoas, rasgando sobre a natureza a cicatriz profunda de sucessivos crimes governamentais. Além da série, será exibida a videoarte O Guarani (6’17”), que toca na violência institucional contra os povos indígenas.

As exposições seguem em cartaz até 13 de outubro, com visitação gratuita.

SERVIÇO

Exposições individuais dos artistas Michael Wesely e Gilvan Barreto
Abertura: 22 de agosto de 2017, de 18h às 22h.
Período: até 13 de outubro de 2017
Horários: de segunda a sexta, de 11h às 18h
Local: Casa Nova Arte e Cultura Contemporânea - Rua R. Chabad, 61, Jardim Paulista, São Paulo
Informações: (11) 2305-2427

Postagens por categoria


 
Copyright © 2010-2017 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Belo Horizonte, MG - Brasil