quarta-feira, 30 de julho de 2014

Resultado do sorteio de um livro da coleção Photo Poche

Nesta quarta-feira realizamos através do aplicativo Sorteie.me na nossa página no Facebook, o sorteio de um livro da coleção Photo Poche, com fotos de Man Ray. A vencedora foi a leitora Carol França, de Belo Horizonte, MG.

Criada em 1982 em Paris pelo editor de livros Rober Delpire, a coleção foi trazida para o Brasil em 2011 pela editora Cosac Naif e foi considerada "um oásis para os olhos" pelo critico Luciano Trigo. Cada exemplar possui uma seleção criteriosa de imagens, acompanhadas de textos de apresentação, biografia e bibliografia de grandes artistas da fotografia.

Parabéns Carol! Nossa equipe estará entrando em contato com você através do Facebook para obter os dados para envio.

Agradecemos a todos que participaram e fiquem ligados para novas promoções!

As faces da música brasileira no livro de Daryan Dornelles

Selecionada compilação de 18 anos de trabalho dedicado à área musical, o livro traz retratos de artistas como Chico Buarque, Criolo, Marisa Monte, Dominguinhos, Paulinho da Viola e Ney Matogrosso.
Adriana Calcanhoto (Daryan Dornelles/Divulgação)
A música na vida do fotógrafo Daryan Dornelles sempre ocupou um amplo e generoso espaço. Ouvinte visceral e colecionador de discos dos mais inquietos, ele acumulou milhares de registros fotográficos nessa área nos últimos 18 anos. Era só uma questão de tempo para que esses trabalhos saíssem dos negativos e dos HDs e se transformassem no livro ‘Retratos Sonoros’, que pode ser considerado, sem exagero nenhum, uma espécie de identidade fotográfica da música brasileira.

‘Retratos Sonoros’ se notabiliza principalmente pela versatilidade. Ao longo do tempo em que o livro foi sendo construído, as lentes de Daryan Dornelles capturaram as mais diversas vertentes da nossa música, seja nas capas dos discos ou nos ensaios publicados nas principais revistas do País e no exterior. De Chico Buarque a Criolo, de Marisa Monte a Tiê, de Nelson Sargento a Kiko Dinucci, ele está sempre em busca da sintonia entre a imagem e a personalidade musical do artista. “É preciso conhecer música e história da música, das artes, da moda. Não tem jeito, esse é o caminho. É preciso pesquisar. Quando vou fotografar um músico, ouço bastante o som dele”, diz o fotógrafo.

Com mais de mil retratos publicados e mais de cem capas de discos no mercado, Daryan teve um trabalho árduo, mas ao mesmo tempo prazeroso, na hora de editar o material e privilegiou o que é mais representativo na sua obra. Sem uma divisão cronológica ou de gênero, ‘Retratos Sonoros’ traduz genuinamente o caldeirão que é a música brasileira. Parte do material é proveniente de projetos dos quais o fotógrafo participou e uma outra série foi produzida especialmente para o livro. 

Com mais de 20 anos de carreira, formado em Cinema e Jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Daryan Dornelles ostenta no currículo, além do vasto trabalho na área musical, um Prêmio Abril de Jornalismo (2007). ‘Retratos Sonoros’ nada mais é do que uma obra que reflete toda a paixão pela música através de alguns de seus grandes criadores: os músicos brasileiros. 

FICHA TÉCNICA

Livro "Retratos Sonoros"
Autor: Daryan Dornelles
Lançamento: 31 de julho
Formato: 25 x 31
Fotos: 156
Páginas: 192
Preço: R$ 140,00
Editora: Sonora

Para conhecer mais sobre o trabalho de Dornelles, acesse: www.daryandornelles.com.

What The Duck #259

© 2007 Aaron Johnson - Tradução: Cid Costa Neto

terça-feira, 29 de julho de 2014

Dúvida do leitor: Apetrechos fotográficos são fundamentais?

A leitora Louise Torga de Juiz de Fora/MG enviou um e-mail com uma dúvida a respeito da necessidade de utilizar acessórios para realizar fotografias externas:

"Sou iniciante na fotografia e lendo sobre externas surgiu uma dúvida que eu ainda não consegui solucionar: é mesmo necessário usar flash externo, difusor, rebatedor ou o que seja em ambiente externo com boa luz solar? Por exemplo, para fotografar em uma praia ou num jardim com dia limpo, posso levar apenas as câmeras e as lentes, ou é preciso todo o 'apetrecho fotográfico' para garantir boas cenas? Vejo fotógrafos com flashes externos, rebatedores, difusores e etc, para externas e sempre me pergunto se é mesmo fundamental para um boa foto ou apenas exagero."

Um rebatedor pode ser uma ótima solução para remover ou atenuar sombras (J. Meyer/Digital Camera World)

É perfeitamente possível realizar boas fotos apenas com a câmera em punho, sem qualquer tipo de acessório. Vide a fotografia de rua - um estilo em que se trabalha apenas com a luz ambiente. Mas isso não quer dizer que usá-los seja um exagero. Tudo vai depender que qual resultado final você deseja obter e quais as condições de luz o local, clima e horário proporcionam.

A luz do dia nem sempre será a mais adequada para obtermos resultados específicos. Lembre-se que em um "dia limpo", com sol a pino, teremos uma fonte de luz que vai gerar sombras duras e possivelmente com forte contraste. Quando indesejáveis, é possível atenuá-las utilizando um rebatedor ou mesmo a luz de um flash dedicado, criando o que chamamos de luz de preenchimento.

 
O flash dedicado também é uma boa alternativa quando temos uma luz desfavorável (J. Meyer/Digital Camera World)

Não podemos esquecer também, das possibilidades criativas que um flash dedicado proporciona ao ser utilizado em contra-luz ou fora da câmera. Quando bem utilizados, os acessórios podem ser ferramentas muito enriquecedoras para a construção de uma imagem. Para entender melhor a utilização dos acessórios, sugiro pesquisar a respeito dos diferentes tipos de iluminação.


Tem alguma dúvida a respeito de equipamentos, técnicas ou conceitos relacionados à fotografia? Envie uma mensagem para contato@resumofotografico.com.

Postagens por categoria

 
Copyright © 2010-2014 Resumo Fotográfico. Termos de uso.
Rua da Bahia, 1148, sala 740 - Belo Horizonte, MG